TRUMP X HILLARY – O COMUNISMO QUE QUEREMOS!


Talvez você imagine que o debate entre os candidatos a presidente dos Estados Unidos não tenha nada a ver com sua vida. Entretanto, no mundo globalizado em que vivemos isto não é uma verdade tão evidente assim. Como é mostrado na teoria do filme Efeito Borboleta: o modo como uma borboleta no Vietnam pode causar um terremoto no centro de Brasília, em uma dia em que a Praça dos Três Poderes estiver em pleno funcionamento. E cadê a infeliz da borboleta?



Voltando ao debate, vendo o que os candidatos falaram e olhando para a atual situação brasileira, é completamente previsível o futuro que o povo americano poderá ter. Quem sabe em 13 anos algum Juiz da cidade de Cicero, em Ilinois, comece a Car Was Operation (Operação Lava Jato). O que foi falando por ambos ontem, é um sinal claro de como as atitudes de uma única pessoa pode afetar a nação mais rica do mundo.


O contraste mais claro entre ambos é a posição em relação ao direito de auto proteção. Hillary Clinton acha que a melhor maneira de proteger a população é desarmá-la e tirar as armas de circulação. Donald Trump fala com orgulho do apoio que recebe e da Associação Nacional de Rifles. Este assunto está longe de ser simplesmente uma questão de matar ou não um bandido que o está ameaçando de assalto. O motivo pelo qual a constituição americana permite o porte de arma é para que o povo possa defender-se contra um governo tirano. Imagine por exemplo se Antonio Paloci teria como roubar 128.000 (cento e vinte e oito milhões) de reais, com a população brasileira fosse tão armada quando a do Texas. O interessante é que o Texas é um dos estados americanos menos violentos. Se o armamento no Brasil fosse permitido, o 9 Dedos já estaria morto.



Outro assunto que considerei importante é o modo como se deve tirar a economia da miséria. Donald Trump escancara que os Estados Unidos estão com o pé na cova, com milhões de pessoas desempregadas. Hillary Clinton tenta colocar a culpa em George Bush, como se Trump tivesse alguma coisa com isto. E o que é pior, ela tenta fazê-lo sentir-se mau por ser um homem rico e insinuando que ele enriqueceu desonestamente.


Para que o pais volte a crescer, Hillary Clinton propõe taxar as grandes fortunas. Até parece que ela andou pedindo conselhos a Dilma Rousseff. Acontece que grandes fortunas não pagam imposto, vide a Fundação Clinton. Pessoas como Bill Gates ou Bill Clinton abrem uma fundação livre de impostos, depositam nela toda sua fortuna e nomeia-se a si mesmos como único e perpétuo dirigente da mesma. Donald Trump tem soluções mais práticas: ele quer diminuir drasticamente os impostos e deixar e doar dinheiro para outros países brincarem de fazer guerra. Ele joga na cara dela que a Senadora Clinton é a responsável direta por todo o dinheiro americano empregado no oriente médio e que só tem causado o caos no mundo.



Por último destaco as inúmeras desculpas para as irresponsabilidades da Senadora Clinton. Lembrem-se que além de ser uma Gleisi Hoffman americana ela foi durante o mandado de Barry Soetoro, vulgo Obama, secretária de estado. Um cargo que só é inferior ao presidente. E nesta condição ela deixou seus e-mails secretos serem hackeados e publicados. As desculpas para toda esta irresponsabilidade é digna da famosa: “eu não sabia!” que é característica básica do cachaceiro de Garanhuns.




Tal qual Dilma Rousseff nos debates com Aécio Neves, Hillary Clinton usou um ponto eletrônico no debate. Alguém estava soprando o que ela deveria dizer.

E um destes dois candidatos terá à sua disposição um botãozinho vermelho que pode por fim a toda a raça humana. Então é melhor você torcer para que os americanos tenham mais juízo que os brasileiros.



AUSCHWITZ-BIRKENAU E OS MUROS QUE NOS CERCAM


“Se homens, mulheres e crianças seguirem morando juntos em lares livres e soberanos, aquelas antigas relações familiares tornarão a aparecer; e o socialista terá de tolerá-las. Só poderá evitá-las destruindo a família, transformando os dois sexos em colmeias e hordas assexuadas e convertendo todos os filhos em filhos do Estado.” - G. K. Chesterton - 1910

Uma das coisas tristes sobre filmes como A Vida É Bela, O Pianista e outros sobre Segunda Guerra Mundial, é que eles levam a crer que os campos de concentração eram apenas lugares de extermínio de pessoas. A verdade é muito mais cruel do que esta: as pessoas eram colocadas naqueles lugares como "COBAIAS" em experiências das mais absurdas possíveis.



Por cobaia entenda porquinhos da índia, ou ratinhos de laboratórios, nos quais eram pesquisadas, de modo doloroso, coisas que o resto da população nem ficava sabendo. A máquina de propaganda feito por nazistas, comunistas e afins eram tão perfeita que a população do geral e os prisioneiros no particular acreditavam que aquela era a vida que eles mereciam.

O mais famoso destes Campos de Concentração, Auschwitz-Birkenau fica na Polônia e atualmente é um museu das vítimas do Holocausto. E caso você pense que holocausto é um termo inventado na guerra, saiba é que uma expressão bíblica. Mais precisamente era um sacrifício de um animal que era queimado até às cinzas em adoração a Deus.

Papa Bento XVI em  Auschwitz-Birkenau

Uma das pesquisas do Google que mais trazem respostas é a pergunta: como seria o mundo se os nazistas tivessem vencido a guerra. Em 0,35 segundos forneceu 81.000 respostas. Eu trago neste artigo a triste noção de que, em muitos fatos da vida moderna, eles venceram sim. Muitas características do século XXI são única e tão somente teses nazistas colocadas em prática. Vamos a algumas delas:

Creche e seus muros


Escola Em Tempo Integral / Creche - Nestes tempos de eleição é a coisa que mais se promete. Todos os tipos de argumentos são usados para tais promessas e a principal é que a população merece ter seus anseios atendidos. Então, tal qual em Auschwitz, as crianças deixem de ser responsabilidade de pai e mãe e passam a ser propriedade do Estado desde o dia em que nasce. E nesta experiência sociológica, os filhos do pastor ou de alguém que frequenta uma igreja é amontoado em lugares com muros enormes, portões eletrônicos idênticos ao dos presídios que chamam de Fundação Casa, e são usados como cobaias de pessoas que nem mesmo gostam de crianças. Nutricionistas os deixam obesos ou com nanismo e as crianças crescem acostumados a nem saber como é uma rua.

Compare estes prédios de Auschwitz com o Minha Casa Minha Dívida e verá que lá era mais confortável.


Condomínios Fechados - Eu tinha a doce ilusão de que os condomínios eram somente lugares luxuosos, nos quais mansões enormes eram construídas para deixar os mendigos e ladrões do lado de fora. A verdade é que muros enormes são cada vez colocados em lugares com casas minúsculas, estilo Minha Casa Minha Dívida. E não são apenas os muros que estão maiores. Cercas de arames farpados são colocadas como proteção e o povo nem percebe que mora em lugares idênticos a Auschwitz. Em muitos casos o Campo de Concentração polonês era muito mais chique e confortável. E os donos de casas nesses condomínios não fazem ideia de que o cloro que eles usam em suas piscinas é o mesmo que era usado nas câmaras de gás.


Trabalho - A grande birra dos sindicalistas atualmente é sobre a CLT e a perda de direitos dos trabalhadores. Principalmente sobre a redução da jornada de trabalho. Ninguém nem se dá conta que o inventor da CLT, Getúlio Vargas, literalmente tirou uma cópia xerox dos direitos do povo italiano, que vivia na miséria no tempo de Benito Mussolini. Na entrada do campo de Auschwitz tem ainda hoje, uma frase bem conhecida e repetida por muitos políticos modernos: "O trabalho liberta o homem!". Então nas relações trabalhistas você também é um prisioneiro do Estado, do mesmo jeito que os prisioneiros de guerra eram propriedade do Estado Nazista. Você não tem liberdade para escolher o emprego ou para negociar o quanto irá pagar ou receber por algum trabalho. Tudo tem de ser feito por burocratas do governo e que são simplesmente pessoas que fazem experiências para saber o quanto você irá aguentar antes de ficar completamente maluco.

Auschwitzs

 O que fazer então para libertar-se deste estado de guerra no qual vivemos? A primeira coisa é pesquisar sobre o tipo de vida que levamos. O segundo é substituir os muros pelas armas, uma população armada mete muito mais medo que milhões de pessoas passeando no domingo. E por último interessar-se por política. E quando falo isto não estou falando em votar em alguém. Estou falando em colocar-se em posição de ser um dos que irá substituir as quadrilhas que atualmente estão no poder. Foi isto que fez, por exemplo, dois empresários que nem mesmo necessitam de roubar dinheiro do governo: Donald Trump e João Doria Junior podem até não ganhar as eleições na qual são candidatos. Mas são um excelente modelo a ser seguido pelos homens e mulheres de bem.





DONALD J TRUMP - COMO SE GANHA UMA ELEIÇÃO



No Brasil eleição se ganha com segundo antes do último voto ser contado. Principalmente se ele foi contado por Antonio Dias Tofoli. Nos EUA também já foi assim, e conta-se que o segundo mandato de George Walker Bush foi dado de presente a ele por seu irmão Jeff.

Entretanto esta campanha americana me faz pensar: porque o Presidento Temer não toma umas lições com o senhor Trump e pelo menos tenta fazer do país um lugar decente. Eis ai a fórmula.



"É assim que nosso novo futuro se parece.
Eu vou baixar seus impostos, muito, mas muito substancialmente.
Eu vou me livrar da massiva quantidade de regulações desnecessárias. Todas aquelas regulações em seus negócios e em suas vidas.
Eu vou liberar a energia americana.
Eu vou combater e substituir o Obamacare (SUS americano).
Eu vou apontar juízes da Suprema Corte que seguirão a constituição.
Eu vou reconstruir nossas forças armadas sucateadas.
E vou cuidar de nossos veteranos, que estão sendo cuidado de modo ruim.
Em muitos casos nossos veteranos são tratados do mesmo modo que pessoas que chegam ao nosso país ilegalmente. Não podemos continuar assim.
Eu vou salvar sua Segunda Emenda (direito de portar armas) que está sendo ameaçado.
Eu vou parar a imigração ilegal e as drogas de cairem em nosso país e totalmente envenenarem nossa juventude e outros.
É um problema tremendo.
E sim nós construiremos o muro. O muro será construído.
E em caso você se preocupe sobre quem pagará por ele. O México pagará por ele. Sou totalmente sério sobre isto.
O México pagará por ele e você entende isto.
Você já olhou para o débito de negócios que temos com o México? É enorme. O muro é comparável a comprar amendoim comparado com isto. O México pagará pelo muro.
E eu vou renegociar nossos desastrosos acordos comerciais. Especialmente NAFTA.  E nós só faremos grandes acordos comerciais que coloquem os "trabalhadores" americanos em primeiro lugar e colocarão os trabalhadores americanos de volta ao trabalho.
Isto inclue nossos mineradores e nossos trabalhadores do aço. Eles voltarão a ter trabalho.
Nós reconstruiremos nossas estradas, nossas pontes e nossos túneis, nossas aeroportos, escolas, hospitais. Nós reconstruiremos tudo. Nossos carros voltarão a andar em nossas estradas.
Carros americanos rodarão em nossas estradas. Aviões americanos voarão em nossos céus. Navios americanos patrulharão os mares. 
O aço americano enviarão novos arranha céus até ás nuvens.
Mãos americanas reconstruirão esta nação.
E energia americana, colhida de fontes americanas, trará força a esta nação.
Trabalhadores americanos serão contratados para fazer o trabalho.
Nós colocaremos o novo metal americano e novo aço americano na espinha dorsal deste país.
Empregos voltarão. Os salários aumentarão.
Novas fábricas virão correndo para nossas praias.
Nós faremos a América rica novamente.
Nós faremos a América forte novamente.
E nós faremos a América grande novamente.
Obrigado."














JASON BOURNE - UM FILME SENSACIONAL


Faz um pouco de tempo que não assisto um filme. Assistir um filme  bom é então algo que não sei o que acontece há muito tempo.

Hoje entretanto assisti a um filme sensacional. Jason Bourne. O filme protagonizado por Matt Damon consegue ser melhor que Perdido Em Marte e melhor que todos os filmes anteriores com o mesmo personagem. 

Não vou contar a história porque não quero ser um espalhador de spoiler. Vou entretanto falar de algumas coisas bem interessantes, que fazem este filme ser sensacional.

Matt Damon como o desmemoriado Jason. Uma história que poderia já ter sido encerrada no primeiro filme, é reciclada em meio a coisas como a crise grega. Quase que você fica desejando as cenas do tumulto na Grécia não terminarem. Você tem a impressão que está participando de um momento histórico, quando na verdade é uma cena de ficção colocada no meio de um acontecimento real.

Um vilão carismático e charmoso. Não estou falando da cara de múmia do Tommy Lee Jones. O agente encarregado de matar Jason Bourne traz uma charme às cenas de perseguição. Não é só um assassino com uma pistola.

Alicia Vikander. Quando a vi com a mesma expressão azeda, pensei tela visto na série The Flash. Mas eu a vi mesmo foi no filme Ex Machina. Não foi a toa que a talentosa atriz ganhou um Oscar este ano. Preparem-se para o novo Tomb Raider.

Por fim o roteiro deixa de ser um mísero jogo de vingança para envolver conspirações governamentais que te fazem pensar se o governo está do seu lado ou não. A resposta é não caso, você tenha alguma dúvida.

E a rede social do filme é nada mais, nada menos que um retrato do Facebook. Aparenta ser um mísero aplicativo, quando na verdade é apenas uma arma para o estado todo poderoso catalogar todas as suas informações pessoais.

Enfim é um filme super bacana mesmo.

GABRIEL O PENSADOR X GUIDO MANTEGA - ATITUDES QUE PODEM MUDAR O BRASIL!

"Eu estou sem dormir há 12 horas, eu já matei 2 desde a meia noite. Então eu aconselho que você tenha um pouco mais de medo de mim do que você está agora." - Jack Bauer (Kiefer Sutherland) - 24 Horas.



Sim, é estranho um país no qual alguém ser honesto e devolver o que lhe pertece é um ato extraordinário. Infelizmente, este é o Brasil e é o real motivo pelo qual estamos no atoleiro. 

O povo brasileiro está condicionado mentalmente a apoiar o erro e a recriminar pessoas de bem. Lembrai-vos de Neymar Jr na Olimpíada e pense em quantas vezes o juiz Sergio Moro citou o nome dele. Nada justifica a irritante campanha contra ele nas várias redes sociais.

Arnold Schwarzenegger (left) and Neymar formed an unlikely duo in Barcelona on Friday

Vamos então a duas atitudes que podem mudar por completo o modo como o povo brasileiro age. A primeira delas vem da Polícia Federal ao prender Guido Mantega. Não está em casa ou no trabalho? Não tem problema: "o artista tem de ir aonde o povo está!". Prendam-no então naquele esconderijo de bandidos ricos chamado Albert Einstein ou em seu congenere Sírio Libanês.
Guido Mantega é hostilizado no Hospital Albert Einstein

A esposa dele está sendo operada de cancer? Ou é ele que está em estado de coma? Façam com Jack Bauer, enfia o raio de uma pistola na cara do médico e diga que vai estourar os miolos dele se ele não der um jeito de acordar o paciente para uma conversa amigável.

Quando estes lugares passarem a ser mais frequentados pela Polícia Federal, os ricões que se tratam lá, vão exigir que pessoas com má fama não sejam atendidas ali. 

A outra atitude, esta sim digna de uma medalha de Honra ao Mérito, vem do cantor Gabriel, O Pensador, do qual conheço apenas e tão somente a Loira Burra. Principalmente minha frase predileta: loira burra você é só uma mulher objeto.

Pois bem, ao saber da edificante história do catador de lixo que devolveu os dólares que não lhe pertenciam, Gabriel fez uma vaquinha entre os amigos e doou a ele a quantia de R$ 10.000,00. Obviamente que os inimigos do que é bom vão dizer: mas ele só deu o que estava sobrando.

Ninguém dá o que não tem. O rapaz que devolveu o dinheiro, não entregou um centavo sequer a mais do que o que ele achou. Aquele rapaz sim não tem condição alguma de fazer caridade. E vejam que interessante. Após receber a recompensa, o rapaz disse que iria doar uma parte para sua mãe. Ele não tinha condições de ajudar nem aquela que lhe pôs no mundo.

O exemplo então do Gabriel, deve ser apresentado ao povo sobre o que é a verdadeira caridade. Não é doar Sítios e Triplex para amigos presidentes. É ajudar o pobre. É ir nos orfanatos e ajudar as viúvas.

Quem sabe vendo a repercussão do fato outros "Ricos e Famosos" comecem a fazer o mesmo e em breve nosso país comece a perceber que o barato mesmo é ser bacana. Não ser bandido e depois ficar chorando por não ter como ter roubado a maçã do Adão para comer.

RÉU LULA QUASE NA CADEIA




Algo me diz que o Reinaldo Azevedo deve estar chorando de dó!

 



OS PINGOS NOS IS DO TUCANOTRALHA REINALDO AZEVEDO!


O jornalista Reinaldo Azevedo é conhecido por ter cunhado o termo Petralha, referindo-se à uma mistura de petista com irmãos metralha. E também por repetir em todos os seus artigos a expressão Estado Democrático de Direito.

Não sei se sempre fui burro, mas nos últimos anos tenho notado um estranho padrão de comportamento jornalistico no mesmo. Antes de dizer qual é este padrão, vai ai uma dica: Joice Hasselman foi demitida da Veja, Marco Antonio Villa foi demitido da Veja. Entretanto o Impávido Colosso, Reinaldo Azevedo continua lá como guardião da constituição e das leis.
Ele critica MORO, ele critica JANAÍNA PASCHOAL, ele critica DELTAN, de que lado este cara está? A quem ele serve? Certamente, não é ao povo brasileiro!

Curtir
Comentar
E qual é este padrão de comportamento: ele nunca ataca as leis injustas brasileiras, ou os políticos bandidos que fizeram estas leis. A Constituição Brasileira, a qual deveria ser abolida sumariamente para ele é um marco histórico de tudo o que existe de bom e justo. Creio que ele é a favor até da tal Lei Reuneut, com a qual os Chicos da vida podem viver confortavelmente em Paris.



O que o senhor Azevedo ataca mesmo é a Operação Lava Jato, principalmente o Juiz Sérgio Moro e o procurador Deltan Dallagnol. Para o experiente jornalista estes dois não deveriam ser nem juízes de casamento na roça em festa junina.

FHC e Aécio Neves são também figuras sacrossantas e nenhuma palavra deve ser dita sobre os dois que não sejam de um assombro religioso.

Se Reinaldo Azevedo vivesse no Império Romano seria a favor de se jogar Sergio Moro aos leões e se morasse na União Soviética seria a favor de mandar o Deltan para os Gulags.

Resumindo, Reinaldo Azevedo é a favor de qualquer coisa, menos do povo brasileiro. Por mais que ele se ache um bastião da justiça. No máximo ele consegue ser um Sebastião do Escarnio.